[vc_empty_space height="37px"] logo [vc_empty_space height="21px"] Seja bem vindo ao ExpertemTI. Aqui você vai iniciar os estudos do VMware vSphere 6.5 com as melhores práticas do mercado. [vc_empty_space height="21px"]
Contato
[vc_empty_space height="5px"] Entre em contato com a ExpertemTI. [vc_empty_space height="17px"]

contato@expertemti.com.br

Top

Treinamento VMware 6.5 – Explicação dos Diagramas do laboratório VMware 6.5

Treinamento VMware 6.5 – Explicação dos Diagramas do laboratório VMware 6.5

A explicação dada aqui sobre os diagramas do  laboratório serão totalmente úteis para você realizar a configuração deste laboratório na sua própria casa, como também para atender um ambiente real, bem projetado e seguindo as boas práticas de mercado atualmente.

Coloque na sua mente que as explicações serão totalmente úteis e utilizáveis em um ambiente físico de verdade. Coloque em sua mente que você é um especialista de implementação de serviços avançados de TI, no qual você faz tanto a instalação física e lógica de servidores, Storages e equipamentos de rede. Neste caso você foi contrato pela empresa X para instalar e configurar os seguintes equipamentos.      

  • Três servidores físicos da Marca HP DL380 gen9 com 8 placas de rede cada com X processadores e X de memória RAM. O importante aqui são as 8 placas de rede
  • 4 switches de 24 portas 1 gigabit e 4 portas 10 gigabits. Sendo que dois serão empilhados e usados para a rede LAN. E os outros dois switches serão utilizados para SAN ISCSI, ou seja, os switches que serão utilizados para instalar o Storage da HP

No digrama acima deste treinamento VMware eu estou utilizando uma Workstation da HP modelo Z620 com 128GB de RAM para configurar o virtual lab, porém vamos utilizar certa de 32GB de RAM, ou seja, caso você queria fazer o virtual lab na sua própria casa, que também é chamado de home lab ou lab home, você irá precisar de um PC com no mínimo 32GB de RAM.

Seguindo com a explicação do diagrama do nosso treinamento vmware, perceba que foi instalado a aplicação VMware Worsktation 12 para que possamos instalar as máquinas virtuais ou VMs, ESXi01, ESXi02, ESXi03, VSA01, VSA02, FOM e Windows Server 2016, totalizando 7 VMs instaladas no VMware Workstation.

Sendo que o ESXi é apenas um resumo do nome completo do Sistema Operacional da VMware, podendo ele ser chamado também de Hypervisor no mundo de virtualização de servidores. O nome completo é VMware vSphere ESXi 6.5, última versão do Hypervisor VMware Vsphere ESXi. Reforçando, ele não é uma aplicação, ele é considerado um sistema operacional de virtualização de servidores onde nós instalamos as máquinas virtuais ou VMs.

Seguindo com o diagrama do treinamento VMware, perceba que abaixo de cada VMware vSphere ESXi 6.5 é instalado uma VM, onde a máquina virtual VM-WIN7 01 é instalada dentro do VMware vSphere ESXi01, a VM VCSA que significa vCenter Server Appliance será instalada dentro do VMware vSphere ESXi02 e a máquina virtual VM-WIN7 02 será instalada dentro do VMware vSphere ESXi03.

O vCenter é a plataforma de gerenciamento centralizada do ambiente virtual VMware vSphere, é através dele que você consegue gerenciar todos os hosts ESXi ao mesmo tempo e fazer configurações avançadas como por exemplo, a configuração do Cluster VMware e migrações de máquinas virtuais entre os diferentes hosts ESXi.

Seguindo com a explicação do diagrama deste treinamento VMWare, perceba onde está escrito Cluster StoreVirtual, veja que ele é formando por três VMs que estão instaladas no VMware Workstation 12, sendo elas, VM VSA01, VM VSA02 e VM FOM.

A sigla VSA significa Virtual Storage Appliance e FOM significa FailOver Manager, ou seja, essas máquinas virtuais são parte do nosso Storage Virtual da HP, que é chamado no mercado de StoreVirtual P4000. É neste Storage virtual que iremos armazenar as máquinas virtuais VM-WIN7 01, VM-WIN7 02 e o VCSA. Sendo que na LUN01 será armazenada a máquina virtual VM-WIN7 01, na LUN02 será armazenada a VM VCSA e na LUN03 será armazenada a máquina virtual VM-WIN7 02.

Este Storage utilizada o protocolo de comunicação iscsi, que é um protocolo de transferência de blocos SCSI entre os servidores VMware vSphere ESXi 6.5 e o Storage propriamente dito. Lembrando que para a configuração de um Cluster VMware, um Storage para armazenamento das VMs é um pré-requisito. Se não existir um Storage em sua rede, você não irá conseguir utilizar alguns recursos avançados do VMware VCenter Server Appliance 6.5 como por exemplo migração de máquinas virtuais, salvo se você utilizar a tecnologia da própria VMware que se chama virtual SAN. Mas isso não será tratado aqui, pois a configuração mais comum que é utilizada no mercado de tralhado é esta que estou lhe apresentando.

Ao final da configuração do Storage da HP, nós iremos configurar 3 LUNs de 50GB como pode ser visto na parte inferior esquerda do diagrama do nosso curso VMware. Uma LUN significa Logical Unit Number, ou seja, uma unidade de armazenamento dentro do Storage virtual. São nessas LUNs que as VMs do cluster VMware serão armazenadas. Perceba então que você terá mais 3 máquinas virtuais, porém essas 3 VMs serão instaladas dentro das VMs ESXi01, ESXi02 e ESXi03. Sendo assim, você terá um ambiente virtual de 10 máquinas virtuais, sendo que 7 delas serão instaladas no VMware Workstarion e 3 serão instaladas nos hosts VMware Vsphere ESXi 6.5.

Seguindo com o diagrama do nosso treinamento VMware, perceba que no canto superior direito temos uma VM instalada com o sistema operacional Windows Server 2016, esta VM está instalada em nosso virtual lab para fazer a integração de todas as máquinas virtuais ao active directory do Windows Server 2016. Caso tenha ficado alguma dúvida entre em contato através do e-mail contato@expertemti.com.br.

Laboratório

Laboratório

Layout de rede ESXI01

Atenção!

Dica super importante.

Como boa prática de mercado, você nunca deve misturar o tráfego de rede LAN ethernet com tráfego iscsi gerado por um Storage em um mesmo switch ou como mostrado aqui, em uma pilha de switches. Isso poderá degradar muito a performance de rede e seu ambiente de virtualização poderá ficar muito lento. Para isso, sempre que você for projetar um ambiente VMware vSphere ESXi 6.5 que irá utilizar um Storage que utilizada o protocolo iscsi, sempre utilize um switch separada para o Storage. Sendo assim, vamos seguir com a explicação do diagrama de rede deste laboratório.

Na Figura acima deste treinamento VMware você está vendo o diagrama de rede usando em cada host VMware vSphere ESXi 6.5. O digrama de rede aqui apresentado está fazendo referência ao host VMware ESXi01, no qual tem 8 placas de redes instaladas e configuradas e uma máquina virtual chamada VM-WIN7 01 com uma placa de rede virtual que é denominada de vNIC, ou seja, Virtual NIC.

A explicação que será dada aqui com relação a este host VMware vSphere 6.5 ESXi01 será a mesma para os hosts VMware ESXi02 e ESXi03, mudando somente o endereçamento IP. Observe que nesse host vSphere 6.5 foram configurados quatro switches virtuais que são chamados de VSS pelo VMware, VSS significa Virtual Standart Swich. No diagrama deste treinamento VMware, estamos utilizando 4 switches virtuais denominados vSwitch0, vSwitch1, vSwitch2 e vSwitch3.

Um switch virtual é responsável por gerenciar as máquinas virtuais e as redes no nível do host VMware e fornece também elementos de rede semelhantes aos encontrados nos switches físicos. Assim como uma máquina física, cada máquina virtual também tem seu adaptador de rede virtual que se chama vNIC. Perceba na parte superior do diagrama que a VM-WIN7 01 tem uma placa de rede, ou seja, vNIC que está ligada ao port group PROD do vSwitch1.

Pense em port group como uma porta virtual que tem um conjunto de configurações específicas para determinadas funcionalidades do VMware. No mundo do VMware vSphere ESXi nos temos dois tipos de port groups. Um portgroup é do tipo VM Network, ou seja, responsável pelo tráfego de dados das máquinas virtuais.

O outro port group é do tipo VMKernel, que é reponsável pelas configurações avançadas de trafégo de rede VMware. Como por exemplo, a configuração de vMotion, que nada mais é que a migração de uma VM armazenada em um host A para um host B sem que a mesma perca comunicação com a rede.

Os port groups que são responsáveis por conectar as máquinas virtuais ao VSS – Virtual Standart Switch. De um lado do switch virtual nos temos a vNIC que a placa de rede virtual da máquina virtual e do outro lado nos temos as vmnics, que nosso caso vão da vmnic0 a vmnic7. A vmnic é placa de rede propriamente dita do servidor físico, sendo ela a responsável por conectar o switch virtual a placa de rede fisica e consecutivamente ao swich físico propriamente dito.

Seguindo o diagrama de rede do nosso treinamento VMware, perceba que foram utilizadas 8 vmnics. O motivo de utilizarmos tantas placas de rede assim, é fazer um projeto mais elaborado, profissional e seguindo as boas práticas de mercado para a segregação de diferentes tráfegos provenientes do ambiente de virtualização.  Sendo assim, foram configurados quatro switches virtuais, sendo que cada um deles está utilizando duas placas de rede físicas do servidor ou  vmnic propriamente dita.

Observe que no vSwich0 foram configurados dois port groups do tipo VMkernel, um port group de gerenciamento do host que se chama Mgmt e outro port group do tipo VMkernel chamado vMotion que é responsável por fazer a migração de VMs. Perceba também que este vSwith0 está utilizando a vminic0 e a vmnic1, sendo que as duas vmnics estão acessando ao mesmo tempo os dois port groups, como pode ser visto nas ligações cruzadas no diagrama.

Seguindo o diagrama de rede do nosso curso VMware, observe que no vSwitch1 foi configurado somente um port group. Sendo que este port group é do tipo VM Network, ou seja, responsável pelo tráfeco de máquinas virtuais, não é atoa que seu nome é PROD, fazendo alusão ao termo produção, ou seja, máquinas virtuais que acessam a rede produção da empresa. No vSwitch1 foi configurado somente um port group utilizando a vmnic2 e a vminic3 para fornecer mais performance para a comunicação das máquinas virtuais com o ambiente físico. Assim essas duas placas de rede ficam exclusivamentes responsáveis pelo tráfego das máquinas virtuais.

Seguindo o diagrama de rede do nosso treinamento VMware, observe que no vSwitch2 foi configurado também somente um port group. Sendo que este port group é do tipo VMkernel, utilizando a função de FT (Fault Tolerance), que é uma função avançada do VMware Vsphere ESXi para proporcionar uma super alta disponibilidade para a máquina virtual que foi configurada com o FT. Quando você configura o FT em uma VM que por exemplo está armazenada no host ESXi01, ele é replicada para outro host, no nosso caso pode ser no host ESXi02.

Sendo assim, temos a VM primária no host ESXi01 e a VM secundário no host ESXi02. Todas as configurações que forem feitas na VM primária do host ESXi01 serão replicadas em tempo real para a VM secundária no host ESXi02.

Desta forma, caso ocorra alguma falha no host ESXi01 no qual a VM primária esta configurada, no mesmo instante a VM secundária que esta no host ESXi02 se torna a VM primária, assumindo todo o processamento e funcionabilidade, assim essa máquina virtual não fica sem acesso a rede, e a aplicação ou o usuário que que utiliza esta VM não irá sofrer nenhum impactado de indisponibilidade na rede, tudo isso é possível através da tecnologia FT da VMware.

Seguindo o diagrama de rede do nosso treinamento VMware, observe que o vSwitch3 foi configurado única e exclusivamente para acesso a nossa rede do storage, que também pode ser chamada de Rede SAN iscsi. SAN, significa Storage Area Network.

Como você já sabe, não podemos misturar o tráfego da rede local com o tráfego da rede SAN. Perceba que o vSwitch3 tem dois port groups do tipo VMkernel para fazer acesso ao Storage.

Um port group se chama iscsi A e outro chamado iscsi B. Sendo que o port group iscsi A está ligado diretamente a vmnic6 e o port group iscsi B esta ligado diretamente a vmnic7. Isso é feito em particular para redes que utilizam storages iscsi.

Com este tipo de configuração, nós garantimos que o acesso ao storage será mais performático e com balanceamento de carga.  Informações mais profundas serão fornecidas na tarefa 9, onde iremos fazer a configuração do storage virtual da HP.

Tentei fazer os digramas o mais didático e simples possível para que você possa compreender a estrutura do nosso laboratório. Mas não se preocupe, caso você não compreenda de início, durante as lições ao longo deste E-BOOK você irá com certeza dominar toda a infraestrutura utilizada.

Logo abaixo se encontra outro diagrama de rede, porém muito mais avançado. Após a conclusão deste laboratório, eu gostaria de sugerir a você que fizesse todas as configurações de rede novamente seguindo o diagrama abaixo. Porém não se preocupe com ele agora. Mas tenha em mente que é possível fazer nosso esquema de rede baseado nele também.

Achou complicado? Não conseguiu entender de primeira?

Então não desanime!!!!!

Não fique quebrando a cabeça aqui, só pense que no final de tudo você estará dominando toda essa infraestrutura apresentada.

Só por estes três diagramas já dá para você ter uma ideia do quão interessante será nossa jornada neste ebook em busca de se tornar um expert em TI.

Abaixo segue a tabela com os pré-requisitos das máquinas virtuais que serão instaladas no VMware Workstation 12 pro e no VMware vSphere ESXi 6.5

Share
No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.